Construção e anatomia de uma prancha

171 visualizações
Arquivos e descrição

Neste vídeo, você vai conhecer a anatomia de uma prancha de surf, isto é, todas os seus elementos fundamentais.

Esta é a primeira parte do segundo capítulo do programa "Surf" da Sikana. Essa série dá dicas sobre equipamentos e regras do esporte.

Apesar de serem produzidas com diversos materiais, as pranchas de surf são sempre formadas pelas mesmas partes: o bico, a rabeta e as bordas (espessura) e a largura.

Trilha sonora: Easy Roller - Chill Study; The Road Less Traveled - Olive Musique; Skyline - Gentle Fire Studio; Brooklyn Bridge - Mattijs Muller.

Carregando...

Conhecer os tipos de equipamento do surf e suas características é muito importante para definir o modelo adaptado a seu nível e condições de surf no spot. Nesse vídeo, você vai aprender a anatomia básica de uma prancha.

Apesar de serem produzidas com diversos materiais, as pranchas de surf são sempre formadas pelas mesmas partes: o bico, a rabeta e as bordas (espessura) e a largura.

Entre os materiais mais utilizados para fazer uma prancha, estão o PVC, o poliuretano e o poliestireno.

As pranchas de iniciação geralmente são feitas de espuma macia de PVC, o que as faz flutuar melhor, mas as deixa mais pesadas.

Pranchas para surfistas mais experientes são feitas de poliuretano ou poliestireno, materiais mais leves e frágeis.

A parte de cima da prancha se chama 'deck', e a parte de baixo 'fundo'.

O bico da prancha pode ser mais ou menos pontudo.

Bicos mais pontudos dão mais possibilidade de manobras e velocidade.

Bicos redondos dão mais estabilidade e flutuabilidade para a prancha.

Da mesma maneira existem diferentes formas de rabetas.

A forma (ou 'shape', em inglês) mais comum é o 'squash tail', de forma reta ou quadrada.

Esse tipo de rabeta cai bem em vários estilos e tipos de mar.

Ela favorece o controle e flutuabilidade em vários tipos de ondas.

As rabetas mais redondas e finas, como o 'rounded tail', 'pin' e 'rounded pin' são formas que favorecem na pegada das ondas de curva acentuada.

Elas são geralmente usadas para pranchas de ondas maiores, do tipo 'gun'.

O 'fish tail' tem, como diz o nome, formato de cauda de peixe.

Essa rabeta é boa para transição de borda e progressão nas curvas.

Um variante deste estilo é a 'Winger swallow tail': um tail mais fino numa prancha de corpo largo.

Entre o bico e a rabeta, fica o corpo da prancha.

Ele é definido pelas suas medidas que, geralmente, é dado em pés (1 pé= 30, 48 cm) para o comprimento e polegadas para a largura e espessura. Um pé equivale mais ou menos a 30,5 e uma polegada a 2,5 centímetros.

O corpo da prancha também se define por elementos como o rocker, isto é, a curva entre o bico e a rabeta, e a concavidade que seu corpo forma. Um rocker mais acentuado facilita as manobras e um rocker mais plano ajuda no remo e na estabilidade.

Enfim, as bordas da prancha, ou rails, em inglês, também tem uma importância grande no desempenho na água.

Dependendo do modelo, o desenho, ou 'outline' pode ser mais ou menos acentuado.

Bordas com formas mais arredondadas favorecem controle e estabilidade, bordas com formas angulares são boas para movimentos rápidos.

Download
En poursuivant votre navigation sur ce site, vous acceptez l'utilisation de cookies pour vous proposer des services adaptés à vos centre d'intérêts. En savoir + OK